BYD Brasil lança dois novos módulos fotovoltaicos no mercado

Publicado em 28.05.2020 | Por Fabio

A BYD, a maior fabricante mundial de baterias de fosfato de ferro-lítio e de veículos 100% elétricos e gigante do mercado fotovoltaico, investe significativamente na produção de painéis solares no Brasil. Mesmo em meio à pandemia da COVID-19, a empresa aposta na ampliação do mercado e acaba de lançar dois novos painéis: Monocristalino M7K e o Monocristalino Half-Cell MIK.

O módulo Monocristalino M7K 36 passa a ser fabricado e comercializado no Brasil e já está enquadrado no Finame. Este painel possui até 20,2% de eficiência, um diferencial em relação à concorrência. O produto tem potência nominal que vai de 380 a 400w, leve e compacto, facilitando o processo de instalação. Este painel tem aplicações tanto em sistemas residenciais, quanto comerciais, industriais e geração remota. O módulo se aplica em operações on grid e off grid.

Por último, o lançamento que chega da China é o módulo Monocristalino Half Cell MIK- 36 também com potência nominal de 380 a 400W e eficiência de 19,95%. Como no módulo brasileiro monocristalino, as suas aplicações também se adaptam a diversos sistemas residenciais, comerciais, industriais, geração remota, on grid e off grid, ambos com garantia de 10 anos.

A comercialização dos novos módulos no Brasil vai de encontro a uma necessidade real da humanidade: mudar a dependência humana de energias não renováveis para energia limpa.  A missão da BYD é ajudar países e pessoas a superarem a crise energética e reduzirem a poluição ambiental por meio da utilização de fontes renováveis de energia.

“A energia fotovoltaica é a grande aposta global de desenvolvimento econômico social integrado. Hoje, a energia solar é a que mais gera emprego entre as mais diversas fontes de energia do planeta. Não é surpresa que o novo pacto europeu – o European Green Deal – coloca a energia limpa no centro da reconstrução das nações”, afirmou o Diretor de Marketing e Sustentabilidade da BYD no Brasil, Adalberto Maluf.

“Já que investiremos muitos recursos para a reconstrução da economia nacional, é importante que possamos promover uma economia limpa e renovável, e que coloque o Brasil nos rumos da inovação e do desenvolvimento de novas tecnologias visando a economia de baixo carbono. Após a crise da saúde pública, teremos que lidar com a crise econômica, e a energia solar fotovoltaica é a fonte que mais gera empregos entre todas as fontes de energia, além de ser a mais barata ao consumidor”, ponderou Maluf.

No Brasil, uma das grandes apostas para alavancar o mercado solar é o agronegócio. A energia solar fotovoltaica está cada vez mais presente no agronegócio e nas propriedades rurais do País. Segundo dados da Aneel, apenas no primeiro semestre de 2019, foram instalados 32.963kWp, o que representa cerca de 86% do total gerado durante o ano todo em 2018 no setor.

Neste sentido, os painéis e sistemas de armazenamento off-grid da BYD ganham destaque neste mercado graças à qualidade de seus produtos e a sua fábrica instalada em campinas, que garante todo o suporte e manutenção no pós-vendas.  “O setor do agronegócio, por exemplo, tem sido muito beneficiado pelo sistema off-grid, que pode ser instalado onde a concessionária de energia não chega. Além disso, o retorno do investimento é pleno no médio e longo prazo.

“Os produtos comercializados pela BYD no Brasil foram selecionados para atender com qualidade todo o nosso mercado consumidor, com uma gama de painéis que abrangem as mais diversas especificidades de solo e incidência solar no País, de norte a sul”, afirma Adalberto Maluf, diretor de marketing e sustentabilidade da BYD.